Januário de Oliveira (1940-2021)

De acordo com o site do Globo Esporte, morreu em 31.05.2021, aos 81 anos, o ex-locutor de rádio e TV Januário de Oliveira, após 11 dias internado:

Ele sofreu uma parada cardíaca enquanto tratava um quadro de pneumonia em um hospital particular de Natal-RN, cidade em que morava com a família.

Januário de Oliveira

Januário foi uma das principais vozes no futebol brasileiro nos anos 1980 e 90. Criou diversos bordões que são lembrados até hoje. Quem acompanhava suas narrações, seja na TVE ou na Band, não esquece alguns, como:

“Taí o que você queria, bola rolando”
“Acha pouco, quer mais e vai à luta”
“Ele sabe que é disso, é disso que o povo gosta!”
“Tá láaaaa um corpo estendido no chão”
“Cruel, muito cruel”
“Sinistro, mas é muito sinistro”
“E o goooooooooooool!”

Deu, ainda, inúmeros apelidos a jogadores que caíram no gosto do torcedor. O atacante Valdeir, destaque do Botafogo no início dos anos 90, virou “Valdeir The Flash”. Sávio, prata da casa do Fla, virou “Sávio, o Anjo Loiro”.

O mais famoso, sem dúvida, batizou o centroavante Ézio, do Fluminense, clube do coração de Januário. Até hoje o ex-camisa 9 tricolor é lembrado pelos torcedores como “Super Ézio”.

Em abril de 2019, Januário recebeu uma homenagem no Maracanã, palco de narrações memoráveis. Valdeir, Sávio, William (ex-Vasco) e ainda o filho e a viúva de Ézio (que faleceu em 2011) foram ao encontro do narrador em uma emocionante matéria exibida no Globo Esporte.

Leia mais clicando aqui.

Nilson Ribeiro: Falecimento

Nilson Ribeiro

De acordo com o UOL, morreu em 07.04.2021 o locutor Nilson Ribeiro, aos 56 anos de idade, vítima de uma parada cardíaca. Nilson era conhecido nas rádios de Goiânia e foi o primeiro locutor a anunciar a dupla Zezé Di Camargo e Luciano em uma rádio, quando trabalhava na emissora Terra FM:

A informação foi compartilhada nas redes sociais da emissora. A rádio foi retratada no filme “Dois Filhos de Francisco” na cena em que Francisco liga de um orelhão para a rádio, pedindo a música “É o Amor”. No filme, o pai da dupla dava fichas para amigos e vizinhos ligarem pedindo a canção em 1991. Nilson ainda fez contribuições para a Rede Globo, virando voz de chamadas esportivas e da programação da emissora. Ele também teve passagens pela Record TV, virando o locutor das chamadas.

Leia mais clicando aqui.

Will Nogueira: Falecimento

Will Nogueira

De acordo com o portal G1, o radialista e apresentador de TV Will Nogueira morreu na manhã de 05.04.2021 após complicações da Covid-19:

Ele estava internado com a doença no hospital São Carlos, intubado, e não resistiu à doença.

“Um momento triste para o rádio e profissionais da comunicação em todo o Ceará, mais uma perda para essa doença”, lamentou o presidente do sindicato dos radialistas, Tony Pereira.

Ele será sepultado na tarde desta segunda-feira no Jardim Metropolitano, conforme o Sindicato dos Radialistas.

Leia mais clicando aqui.

No GC Mais:

Evaldo Costa, apresentador do Cidade 190, na TV Cidade Fortaleza, lamentou a morte do radialista, com quem trabalhou anteriormente. “Nós trabalhamos durante 13 anos juntos. Era uma pessoa tranquila, uma pessoa extremamente divertida. Semana passada, recebi a informação que ele teve uma melhora, mas infelizmente é uma doença muito traiçoeira. Não subestime a Covid-19”, disse.

Nayanne Nogueira é radialista na rádio Cidade FM 99.1, mas sua carreira na comunicação começou bem antes, ao lado do comunicador. “Eu ia fazer um teste e quando cheguei à emissora, já fui contratada como assistente de palco dele. A primeira vez que apareci na televisão, foi no programa do Will Nogueira. Trabalhei muitos anos com ele. Estou arrasada”, disse.

Will Nogueira

Carla Soraya, jornalista da Jovem Pan News Fortaleza, também comentou a morte do ex-colega de trabalho. “Era ainda grande fã dos Beatles, de rock(tinha até banda!) e de curtir a vida ao lado da família e dos amigos. Ainda tinha muitos planos para colocar em prática, mas infelizmente a Covid o levou de nós”, escreveu.

Will Nogueira era formado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Sua trajetória no rádio começou na década de 1970, mas ficou eternizada pelo público cearense no extinto programa Terral, na TV Ceará. Após se aposentar em 2015, o radialista prestava consultoria em programação de Rádio e TV.

Leia mais clicando aqui.

Salvador Aiello: Falecimento

Salvador Aiello

Salvador Aiello

De acordo com o site da Rádio Tupi, o sonoplasta mais antigo da Super Rádio Tupi, Salvador Aiello, morreu na madrugada de 24.02.2021 aos 83 anos, vítima de um infarto:

Ele estava internado desde o último sábado no Hospital Memorial, em Inhaúma, na Zona Norte do Rio.

Aiello é um dos criadores da Patrulha da Cidade, programa líder de audiência há mais de 60 anos. Nascido na Itália, no ano passado realizou o maior sonho que era voltar à terra de origem junto com a filha, Cinthia.

(…) Ele era responsável por fazer os testes de audição de todos os novos nomes da rádio, como o do comunicador Clóvis Monteiro. “Na Rádio Tupi, quem fez o teste comigo como operador, como sonoplasta, foi o Salvador Aiello. Acontece que o nosso querido e saudoso, nesse momento, Aiello gostou do meu teste, parou todos os outros, segurou a fita que eu tinha gravado, chamou o diretor da rádio e fez ele ouvir somente o meu teste. E foi assim, que eu fui contratado. Eu costumo dizer que o Salvador Aiello foi o meu passaporte para a minha aventura do Rio de Janeiro”, afirmou o comunicador.

Leia mais clicando aqui.

Leia também:
A Patrulha que é sucesso há 60 anos

Prêmio APCA 2020: Vencedores

Lista completa de vencedores do Prêmio APCA 2020:

ARQUITETURA

Obra de Arquitetura:
– Estação Antártica Comandante Ferraz, do Estúdio 41

Fronteiras da Arquitetura:
– Marcha a Ré, de Nuno Ramos e Teatro da Vertigem

Urbanidade:
– Padre Júlio Lancellotti

ARTES VISUAIS

Exposição Internacional:
– Egito Antigo no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil)

Atividade Cultural:
– IAC – Instituto de Arte Contemporânea que, ao comemorar 20 anos de excepcional atuação, inaugurou sua nova sede

Arte/Tecnologia:
– MIS Experience com a mostra Leonardo Da Vinci – 500 Anos de um Gênio

CINEMA

Longa-metragem:
– M8 – Quando a Morte Socorre a Vida, de Jeferson De

Longa-metragem:
– Sertânia, de Geraldo Sarno

Média-metragem:
– Sete Dias em Maio, de Affonso Uchoa

DANÇA

Criação:
– Silêncio, vídeo performance de Eduardo Fukushima e Sérgio Roizenblit

Difusão:
– Programação de Dança do FarOFFa – Circuito Paralelo de Artes de São Paulo, e do FarOFFa no sofá

Ação de Formação:
– Ayodele Balé, escola de formação em danças preferencialmente para pessoas negras e as não negras de baixa renda

Ação de Sustentabilidade:
– Senadora Benedita da Silva e Deputada Federal Jandira Fegalli, pelo trabalho em prol da elaboração, votação e regulamentação da Lei Aldir Blanc, garantindo condições emergenciais de sustentabilidade para a cadeia produtiva da dança

Prêmio Especial:
– 80 Anos da EDASP – Escola de Dança de São Paulo

LITERATURA

Trabalho Editorial:
– *Gita Guinsburg*, pelas realizações à frente da Editora Perspectiva — refletindo a resistência de todas as editoras no contexto da pandemia.

Difusão de Literatura Brasileira:
– *Bel Santos Mayer*, pela propagação de literatura brasileira contemporânea — e mediação de leituras — durante a pandemia, valendo-se de meios aplicados a propostas de isolamento social.

Difusão de Literatura Brasileira no Exterior:
– *Nara Vidal*, pela revista digital Capitolina Books, que difunde literatura brasileira — on-line, bilíngue (português / inglês) e gratuita — no exterior.

MÚSICA POPULAR

Artista do Ano:
– Teresa Cristina

Artista Revelação:
– Jup do Bairro – “Corpo sem Juízo”

Melhor Live:
– Caetano Veloso

Melhor Disco:
– “Rastilho”, Kiko Dinucci

RÁDIO

Valorização do Rádio:
– Luiz Fernando Magliocca , que esteve ligado a momentos importantes do rádio, desde os anos 70.

Profissional do Ano:
– José Eduardo Piedade Catalano , mais antigo radialista profissional na ativa, que comemorou 72 anos de trabalho, na apresentação de programas na Rádio Difusora de Santa Cruz do Rio Pardo/SP.

Podcast:
– Atenção, Silêncio no Ar – Criação, produção e apresentação do radialista, César Rosa. Em pauta, a história do rádio FM paulistano.

TEATRO

Espetáculo:
– Bertoleza, Direção e adaptação: Anderson Claudir; Texto final: Anderson Claudir e Le Ticia Conde

Espetáculo Virtual:
– Peça, com concepção e atuação Marat Descartes e direção de Janaina Leite

Prêmio Especial:
– Série “Cena Inquieta” em 26 episódios dirigida por Toni Venturi com curadoria de Silvana Garcia sobre teatros de grupo brasileiros.

TEATRO INFANTO-JUVENIL

Prêmio Especial da Quarentena 2020 por levar ao meio digital, de forma criativa e dinâmica, duas séries lúdicas com interação online de crianças:
– Grupo Esparrama (Diz aí… e Vamos Brincar?)

Prêmio Especial da Quarentena 2020 por levar ao meio digital, de forma interativa, com atuação online do público, uma aventura policial voltada para o público jovem:
– Caso Cabaré Privê – texto e direção de Pedro Granato, com a Cia. Pequeno Ato.

Prêmio Especial da Quarentena 2020 por levar ao meio digital, de forma no formato pré-gravado, três espetáculos recentes de seu repertório completamente reescritos e reeditados, levando em conta as especificidades da linguagem audiovisual:
– Trilogia Olho Mágico, da Cia. Delas, com direção de Thaís Medeiros (Ep. 1 – Caroline Lucretia Hershel / Ep. 2 – Maria Sibylla Merian / Ep. 3 – Mary Anning)

TELEVISÃO

Atriz:
– Camila Morgado (Bom Dia, Verônica/ Zola Filmes-Netflix) e
– Tatiana Tibúrcio (Especial Falas Negras/TV Globo).

Ator:
– Eduardo Moscovis (Bom Dia, Verônica/ Zola Filmes-Netflix)

Dramaturgia:
– Bom Dia, Verônica (Zola Filmes-Netflix)

Programa:
– Conversa com Bial (TV Globo)

Humor:
– Marcelo Adnet – Sinta-se em Casa/Globoplay

Destaque do ano:
– CNN Brasil

José Paulo de Andrade (1942-2020)

De acordo com o portal R7, o radialista José Paulo de Andrade morreu aos 78 anos na manhã de 17.07.2020, devido ao novo coronavirus:

Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde o último dia 7 de julho e perdeu a luta contra covid-19.

Segundo o boletim médico da última quarta-feira (15), divulgado pelo jornalista Claudio Junqueira, o quadro de saúde dele permanecia delicado, mas estável. No entanto, Zé Paulo teve uma piora e, nesta sexta-feira, não resistiu, de acordo com confirmação da rádio Bandeirantes.

“É com muita tristeza que comunicamos a morte do nosso colega e amigo José Paulo de Andrade. O Zé Paulo tinha 60 anos de rádio, 57 de Rádio Bandeirantes. Nosso companheiro no ar e fora dele. É com muita tristeza que comunicamos o falecimento dele”, disse Thays Freitas, diretora da emissora em comunicado transmitido ao vivo.

José Paulo de Andrade

Em nota, o Grupo Bandeirantes disse que “José Paulo de Andrade deixará um legado indiscutível, um vazio enorme e muitas saudades” (leia o comunicado na íntegra abaixo).

Zé Paulo era casado e tinha dois filhos. Começou a carreira em 1960, quando tinha apenas 18 anos. Aos 21, foi para a Rádio Bandeirantes, onde atuou como repórter, apresentador e locutor esportivo.

Desde 1973, ele apresentava o jornal O Pulo do Gato.

Leia mais clicando aqui.

No portal G1:

O jornalista também participou de debates políticos na televisão e foi âncora de telejornais como Titulares da Notícia, Jornal de São Paulo, Rede Cidade, Band Cidade e Entrevista Coletiva. Ainda na TV Bandeirantes, interpretou Don Diego/Zorro em As Aventuras do Zorro, em 1969.

O Grupo Bandeirantes lamentou a morte do apresentador. “Com uma voz firme, amplo conhecimento político-econômico, são-paulino fanático e um dos maiores formadores de opinião do Brasil, José Paulo tinha um coração gigante e um caráter ímpar. Com 57 anos de Rádio Bandeirantes, José Paulo de Andrade deixará um legado indiscutível, um vazio enorme e muitas saudades”, disse, em nota.

Leia mais clicando aqui.

Jimmy Raw (1961-2020)

Jimmy Raw

De acordo com o site Diário do Rio, o radialista Germano Raw Neto, conhecido como Jimmy Raw, morreu em 02.06.2020 vítima do novo coronavírus:

Com 58 anos de idade, o famoso comunicador carioca havia dado entrada na UTI, infectado pela COVID-19, no dia 7 de maio. No dia 20, deixou a UTI, aparentemente em processo de recuperação.

Raw se sentiu mal durante o final de semana, e voltou a ser internado, desta vez no hospital municipal Ronaldo Gazolla, onde acabou por falecer, vítima da nova doença. Sua sobrinha anunciou o falecimento em uma de suas redes sociais. “Eu tinha ficado tão feliz que (..) estava se recuperando“, declarou Andrea Raw.

O comunicador, com sua voz sempre jovial, começou bem jovem, como um dos produtores do programa Aqui Agora na extinta TV Tupi. No mundo do rádio, onde era muito respeitado e considerado uma referência de “voz carioca”, começou na Rádio Capital, mas como contato comercial. Após uma passagem pelo Paraná onde finalmente se destacou como comunicador, ficou mais famoso no Rio de Janeiro por seus programas na rádio 98FM e na Antena 1 FM.

Leia mais clicando aqui.

No site do jornal Extra:

Com sintomas da Covid-19, o comunicador foi três vezes a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), a última delas no dia 7 de maio. Aguardou durante alguns dias uma vaga para internação e em 11 de maio deu entrada na UTI do Hospital municipal Ronaldo Gazolla. Raw deixou a terapia intensiva nove dias depois. Na ocasião, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, fez uma publicação do Twitter com um vídeo que mostra Raw celebrando o momento em que foi transferido para a enfermaria. Enquanto era aplaudido pelos profissionais de saúde, ele declarou: “vocês são meus heróis”.

Raw continuava se recuperando no hospital, mas passou mal no último fim de semana e foi internado novamente na UTI na segunda-feira, onde faleceu.

Leia mais clicando aqui.

Jimmy Raw

No Wikipedia:

Jimy Raw chegou a apresentar programas também na TV, tendo trabalhado na TV Manchete nos programas ‘Bike Show’ e ‘Schock’, com várias participações em eventos televisivos e no carnaval. Depois obteve consagração na apresentação do Globo de Ouro, na Rede Globo de Televisão, de setembro de 1989 até dezembro de 1989, com a atriz Isabela Garcia. Voltou para apresentar o último programa do Globo de Ouro em 28 de dezembro de 1990, junto com a atriz Adriana Esteves.

Jimmy Raw e Adriana Esteves no Globo de Ouro

Em 1992 atuou como cantor, gravando o LP “Tudo Bem”.

Entre 2006 a 2016 trabalhou na Super Rádio Tupi do Rio de Janeiro, do Grupo Diários Associados,apresentando o ‘Baú da Tupi’ aos domingos das 00:00 às 03:00.

Leia mais em
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Jimy_Raw

Aldenora Santos (Pudica) (1934-2019)

Aldenora Santos

De acordo com o site da Isto É, Aldenora Santos, a famosa Pudica do ‘Show do Antonio Carlos’ morreu na manhã de 18.10.2019:

Há seis meses ela lutava contra um câncer no pâncreas, mas para não preocupar os ouvintes, preferiu que a doença não fosse noticiada. Pudica completaria 85 anos no próximo domingo, 20.10.2019.

No Show do Antonio Carlos, Pudica – apelido dado pelo comunicador – trabalhou por 36 anos. Ao todo, ela tinha 70 anos de carreira.

O enterro de Aldenora está marcado para amanhã, às 16h, no cemitério São Francisco Xavier, no Rio. O velório acontecerá na capela D e será aberto ao público a partir das 9h.

A noticia foi encontrada aqui.

Festival de Música Rádio MEC 2019 – 25.09.2019

Repertório: Obras de Cláudio Santoro e Francis Hime

Artistas: Lucia Barrenechea (piano), Mariana Salles (violino), Andrea Ernest Dias Trio, Felipe Moura (bateria), Daniel Fernandes (violão e voz), Norma Nogueira (acordeom), Rodrigo Bis (rabeca e voz), grupo vocal Ordinarius e grupo Mulheres de Chico

Sala Cecília Meireles
Largo da Lapa, 47, Lapa, Rio de Janeiro
Horário: 20h
Ingresso: R$10 (inteira) e R$5 (meia)
https://www.ingressorapido.com.br

Transmissão:
– Rádios MEC AM (800 kHz)
– MEC FM (99,3 MHz)
https://www.facebook.com/tvbrasil
https://www.facebook.com/radiomecfm
https://www.facebook.com/radiomecrio

Mais informações:
http://radios.ebc.com.br/festivaldemusica

Paulo Beto: Falecimento

De acordo com o portal G1, faleceu, na madrugada de 19.01.2019, o locutor de rádio Paulo Beto, aos 52 anos. O sepultamento será domingo, 20.01.2019, no Cemitério São Miguel, São Gonçalo. O velório, na capela 2, acontece a partir das 12h. O enterro será às 15h:

Segundo pessoas próximas, ele se tratava de uma leucemia.

Paulo Beto

Paulo Beto

Morador de Niterói e torcedor do Fluminense, era um dos nomes mais conhecidos nas rádios FMs do Rio. Trabalhava na Rádio Mania, que postou um comunicado da morte e uma homenagem a Paulo Beto.

Também passsou pelas rádios Mix, Beat98, Jovem Pan, 98 FM e a extinta RPC, entre outras, e fez participações na Rádio Globo. Era conhecido no meio pelo bordão em que repetia: “Paulo Beto, Paulo Beto, Paulo Beto”.

Leia mais e veja depoimentos e homenagens clicando aqui.

Gil Gomes (1940-2018)

Gil Gomes

Gil Gomes

De acordo com o portal G1, o jornalista e radialista Gil Gomes morreu na manhã de 16.10.2018 em São Paulo, informou a assessoria do Hospital São Paulo. Famoso na crônica policial, ele tinha 78 anos:

Na noite de segunda, o jornalista passou mal em sua casa, no bairro Jardim da Saúde, Zona Sul da capital. Ele foi socorrido por equipe do Samu e levado para o pronto-socorro do Hospital São Paulo. A morte foi confirmada nesta madrugada.

Cândido Gil Gomes Jr. nasceu na Mooca, bairro de imigrantes italianos de São Paulo, em 1940. Dono de uma voz potente, começou a carreira jornalística aos 18 anos, em uma rádio, como locutor esportivo. Dez anos depois, na Rádio Marconi, passou a cobrir reportagens policiais.

Mas foi nos anos 90 que ficou mais conhecido do público devido à sua atuação como repórter de pautas policiais no popular “Aqui e Agora”, do SBT. A maneira como narrava os crimes e o gesto característico que fazia com a mão direita se tornaram marcas de sua carreira. Depois do “Aqui e Agora”, trabalhou em outras emissoras.

Leia mais clicando aqui.

Zé Bettio (1926-2018)

De acordo com o portal G1, faleceu em 27.08.2018 em São Paulo, aos 92 anos, o radialista Zé Bettio, um dos mais famosos comunicadores do rádio brasileiro:

Segundo informações da rádio CBN, Zé Bettio morreu enquanto dormia em casa no bairro Horto Florestal, na Zona Norte da capital.

O corpo do radialista foi enterrado às 16h da segunda no Cemitério do Horto Florestal, segundo funcionários do local.

José Bettio nasceu em Promissão, no interior de São Paulo, em 1926. Ele iniciou sua carreira artística como sanfoneiro e participou dos grupos “Sertanejos Alegres” e “Zé Bettio e seu conjunto”. Se tornou locutor por acaso ao assumir o microfone da rádio Difusora de Guarulhos para ler um anúncio. Agradou com seu jeito simples e coloquial e acabou sendo contratado.

Tornou-se muito conhecido em São Paulo na rádio Cometa. Na rádio Record, teve uma das maiores audiências das décadas de 1970 e 1980. Eternizou bordões como “acorda, joga água nele!”. Também lançou nomes importantes da música sertaneja como Milionário e José
Rico.

Leia mais clicando aqui.

No portal R7:

Ficaram eternizados seus bordões “acorda, joga água nele”, “gordo, ô gordo”, logo na abertura do programa às 5h. Zé Béttio conquistou enorme popularidade na Rádio Record e também na passagem pela Rádio Capital.

Zé Béttio se aposentou em 2009 encerrando a carreira na Rádio Record, em 2009, aos 81 anos de idade.

Na Veja SP:

Zé Béttio foi sanfoneiro do trio Sertanejos Alegres nos anos 50. Antes disso, porém, foi sapateiro e até jogou futebol no Clube Atlético Linense. No final dos anos 50, depois que os Sertanejos Alegres se desfizeram, ele passou a tocar sanfona num concurso de calouros da Rádio Tupi, e montou o Zé Béttio e Seu Conjunto, fazendo algumas apresentações na Rádio Cometa, com quem gravou seu primeiro disco, em 1958.

O destino fez com que ele substituísse por acaso um locutor que havia faltado na rádio Difusora de Guarulhos. O público gostou de ouvi-lo lendo anúncios, e ele acabou efetivado como locutor, tendo um programa diário de meia hora. Foi em seguida contratado pela Rádio Cometa, e logo se tornou um fenômeno de audiência. No início da década de 70, foi para a Rádio Record, e nesse programa lançou diversos artistas que se tornaram consagrados, como a dupla Milionário e José Rico.

(…) Quem não se lembra de quando começava a música Quem É?, de Aguinaldo Timóteo, e ele respondia “é o Zé Béttio”?

No site Terceiro Tempo:

Nascido na simpática cidade de Promissão-SP, em 2 de janeiro de 1926, Zé Bettio iniciou sua carreira artística percorrendo o interior de São Paulo e Paraná com o trio “Sertanejos Alegres”, junto com Antonio Moraes e Afonso.

Após o término do grupo, passou a tocar sanfona em um concurso de calouros da Rádio Tupi, quando conheceu alguns outros músicos e formou o “Zé Bettio e seu Conjunto”, que se apresentou algumas vezes na Rádio Cometa.

Nos últimos anos de vida, curtia sua merecida aposentadoria em suas fazendas, nas cidades de Garça-SP e de Rinópolis-SP, onde organizava suas memórias para lançar um livro sobre a sua vida.

Gleides Xavier: Falecimento

Gleides Xavier

Gleides Xavier

De acordo com o site do UOL Entretenimento, radialista Gleides Xavier, que era conhecida por apresentar o programa “Roda de Samba” na 105 FM (105,1) morreu em São Paulo, aos 50 anos. A Rádio confirmou em nota a informação, no começo da manhã de 17.05.2018:

“É com imenso pesar que nós, da 105 FM, comunicamos a perda da nossa querida Gleides Xavier. Ela estava internada a aproximadamente 30 dias tratando de uma grave infecção causada por uma pneumonia”, diz o comunicado.

“Infelizmente ela não resistiu e faleceu nesta madrugada”, completa a nota. A jornalista e comunicadora era uma das principais apresentadoras da 105FM e se destacou pelo enfoque e seus conhecimentos em samba, comandando o “Roda de Samba” e o “Conexão 105FM”.

Leia mais clicando aqui.

De acordo com a rádio, o velório acontece a partir das 9h desta quinta, no Memorial Parque Paulista. O processo de cremação está marcado para as 15h.

Gleides trabalhou nas rádios 105 FM, Bandeirantes, América e Iguatemi. Na TV, foi repórter nos programas “Domingo da Gente” e “Note e Anote”, da Record, e foi jurada do quadro “Concurso Nacional de Pagode”, no “Show da Gente”, apresentado pelo SBT.

Gleides Xavier

Gleides Xavier

Paulo Barboza (1944-2018)

Paulo Barboza

Paulo Barboza

Morreu em São Paulo o radialista Paulo Barboza, um dos primeiros comunicadores a investir em debates diários sobre política e cotidiano, com a presença de diferentes convidados diariamente. Paulo foi um dos grandes nomes do rádio brasileiro, com quase 59 anos de carreira ininterruptos. Também no SBT foi jurado do troféu Imprensa entre 2007 e 2013:

O radialista Paulo Roberto Machado Barboza morreu na madrugada de 16.04.2018, em São Paulo, aos 73 anos, devido a um infarto fulminante, de acordo com informações do UOL.

Desde janeiro de 2017, o também jornalista e publicitário comandava, de segunda a sexta, um programa na SuperRádio 1150 AM, na capital paulista, que ia ao ar das 8h às 11h. Também trabalhava às tardes na rádio ABC 1570 AM.

Paulo começou a carreira no Rio de Janeiro, onde nasceu. Lá, trabalhou na rádio Petrópolis. Em São Paulo, teve programas nas rádios Record, Globo, América, Tupi e Capital.

Leia mais clicando aqui.

De acordo com o portal G1, Paulo sofreu um infarto fulminante e, segundo informações da família, o velório acontece às 9h de 16.04.2018 no cemitério Horto da Paz, em Itapecerica, na Grande São Paulo. A cremação deve acontecer às 17h.

Paulo Barboza e a esposa Eliane, que morreu em 2015

Paulo Barboza e a esposa Eliane, que morreu em 2015

Fernando Borges: Falecimento

Fernando Borges

Fernando Borges

De acordo com o site TudoRadio, morreu em 07.03.2018, o radialista Fernando Borges. O profissional estava internado há alguns dias com quadro considerado grave e não resistiu aos tratamentos:

De acordo com as informações divulgadas na internet, Borges havia passado por uma cirurgia e seu estado de saúde era considerado grave. A morte foi causa por uma parada cardíaca enquanto estava internado.

Fernando Borges teve uma atuação marcante pela extinta 98 FM (*). Na emissora, Borges apresentou o programa Good Times 98 durante cerca de 23 anos, de 1985 a 2008.

Leia mais clicando aqui.

(*) A rádio 98 FM deixou de existir, com este nome, em 2008. Originalmente pertenceu ao Sistema Globo de Rádio, foi fundada em 1971 como Eldorado FM, primeira rádio FM do Rio de Janeiro. Foi renomeada para Eldopop FM em 1973, 98 FM em 1978 e posteriormente Beat98 em 2008. Em 2014, cedeu sua frequência para a Rádio Globo e migra para a internet, tornando-se a RadioBeat. Em 30 de dezembro de 2015, a rádio foi oficialmente extinta devido a reformulação do Sistema Globo de Radio.

Fernando Borges

Fernando Borges

Update 08.03.2018 – Sobre o sepultamento:

O radialista Fernando Borges foi sepultado na tarde chuvosa desta quinta-feira, no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, Zona Norte do Rio de Janeiro.

(…) Diversos profissionais do meio Rádio carioca e paulistano que atuaram com Fernando Borges lamentaram a sua morte nas redes sociais.

O DJ, músico e produtor Victor Hugo Rangel, astro das noites cariocas, manifestou sua tristeza com a morte do amigo.

“Acabamos de perder um mestre da locução, um amigo, músico e uma pessoa de grande valor e coração. Na rádio 98 FM, nos deu muitas alegrias em ouvir suas tradições no programa Gootimes 98 o nome o qual deu a sua banda. Descanse em paz e continue brilhando como uma estrela”.

Leia mais clicando aqui.

O velório aconteceu em 08.03.2018 na capela 3 do Cemitério Jardim da Saudade em Sulacap. O sepultamento ocorreu às 15 horas.

Nelson Tolipan: Falecimento

O radialista Nelson Tolipan faleceu, aos 81 anos, na noite de 28.01.2018, em casa, de infarto do miocárdio:

Nelson Tolipan era o “homem-jazz” da Rádio MEC/EBC. Ingressou na produção radiofônica ainda muito jovem. Colecionador e apreciador da música americana, se aperfeiçoou na língua inglesa, tornando-se professor e produtor. Era pai da jornalista Heloisa Tolipan.

Enterro às 16h30min de 29.01.2018 no cemitério São João Batista.

Update – No Globo Online:

Maior especialista em jazz no Brasil, formado em filosofia e em inglês, esse carioca filho de imigrantes poloneses se apaixonou pelo gênero quando ganhou, em 1958, uma bolsa para estudar na Universidade de Midville, na Pennsylvania, Estados Unidos. Nunca mais deixou de viver o jazz em sua essência, construindo ao longo da vida uma discoteca invejável: mais de 30 mil títulos somente em LPs.

Foi professor de inglês, diretor de curso de idiomas e falava mais quatro línguas, mas foi no rádio que formou gerações de apreciadores do jazz. A princípio nas rádios Mayrink Veiga e Nacional e depois na Rádio MEC, onde estreou em 1985, manteve programas semanais onde apresentava clássicos e novidades.

— Ele era o maior expert vivo do Brasil em jazz — conta a filha Heloisa, jornalista. – Estava muito bem aos 81 anos, apesar de ter colocado vários stents e pontes de safena, fazendo planos para retomar o programa em nova temporada. Foi um homem da era de ouro, como Jorge Guinle

Tolipan fez o prefácio do livro “Jazz Panorama”, de Guinle. Segundo o radialista Jota Carlos, Nelson “era o último remanescente do jazz no rádio”. O compositor Guinga vai além:

— Eu me tornei músico por causa do Nelson Tolipan. O programa dele era uma aula de jazz. Compus duas músicas ouvindo o programa dele, “Ellingtoniana” e “Par constante”. Uma grande perda.

Casado com a professora Heloisa Araújo, Tolipan deixa duas filhas: além da jornalista Heloisa, a designer Vilma.

Luiz de França: Falecimento

De acordo com o site do jornal O Dia, morreu em 28.07.2017 aos 71 anos o radialista Luiz de França em casa, na Tijuca, Zona Norte do Rio:

Ele teve uma parada cardiorrespiratória. De acordo com a família, ele deixou o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, após uma insuficiência respiratória.

Luiz de França trabalhou na Rádio Globo durante 28 anos. Na empresa, ele ficou conhecido por ter sido comunicador. Ele será enterrado neste sábado, às 13h, em Barbacena, Minas Gerais, cidade onde nasceu.

A nota foi encontrada aqui.

Barros de Alencar (1932-2017)

Barros de Alencar

Barros de Alencar

De acordo com o portal G1, o cantor, compositor e comunicador de rádio e TV Barros de Alencar morreu na madrugada de 05.06.2017 aos 84 anos:

Ele estava internado em um hospital no bairro da Mooca, em São Paulo. Segundo post feito por Virgínia Barros, irmã do radialista, no Facebook, o enterro acontece às 13h30, no cemitério Primavera em Guarulhos, Grande São Paulo.

Pela manhã, o radialista Kaká Siqueira, locutor da Tropical FM 107,9 – SP, afirmou que Barros entrou em coma no domingo (04). “Ele estava com o coração bem fraquinho”, afirmou Kaká, que relembrou ainda o período em que o amigo passou por problemas nas cordas vocais e precisou passar por uma cirurgia.

Cristóvão Barros de Alencar nasceu na Paraíba e iniciou sua carreira como radialista em Campina Grande, na Rádio Borborema. Na década de 1960, passou também pelas rádios Tupi, Record e América. Em 1966, lançou seu primeiro disco. Entre seus projetos musicais, gravou em 1975 uma versão em português de “Emmanuelle”, trilha do famoso filme homônimo da época.

cinemagia.wordpress.com

Ao longo dos anos, intercalou a carreira musical com seu reconhecido trabalho nas rádios.

A nota foi encontrada aqui.

Menudos no Barros de Alencar

Menudos no Barros de Alencar