Erasmo Carlos (1941-2022)

Erasmo Carlos

De acordo com o portal Metropoles, o cantor e compositor Erasmo Carlos morreu em 22.11.2022:

O cantor e compositor havia sido internado um dia antes no Hospital Barra D’or, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, às pressas. Erasmo havia recebido alta no início do mês após ficar internado por nove dias no hospital, com um quadro de edema.

A esposa de Erasmo Carlos, Fernanda, estava ao lado do cantor na hora da morte. A causa da morte ainda não foi divulgada.

Erasmo Carlos tinha 81 anos e vinha há alguns meses tratando uma síndrome edemigênica, doença que ocorre quando há um desequilíbrio bioquímico, dificultando a manutenção dos líquidos dentro dos vasos sanguíneos. Geralmente é causada por doenças cardíacas, renais ou dos próprios vasos.

A notícia foi encontrada aqui.

Leia também:
Como Erasmo, aos 80 anos, me ensinou que nunca é tarde para um grande amor , por Fernanda Talarico

Erasmo Carlos

Erasmo nasceu no bairro da Tijuca na Zona Norte do Rio de Janeiro, de mãe solteira, vindo a conhecer seu pai somente aos 23 anos de idade:

Conhecia Sebastião Rodrigues Maia – que mais tarde ficaria conhecido como Tim Maia – desde a infância. Entretanto, a amizade só viria na adolescência por conta do gosto pelo rock and roll.

Em 1957 Tim Maia montou a banda The Sputniks, junto com Tim, Arlênio Lívio, Wellington Oliveira e Roberto Carlos. Após uma briga entre Tim e Roberto, o grupo foi desfeito. Wellington desistiu da carreira musical e o único remanescente era Arlênio, que no ano seguinte resolveu chamar Erasmo e outros amigos da Tijuca, Edson Trindade (que tocou violão no grupo Tijucanos do Ritmo, em que Tim Maia tocava bateria) e José Roberto, conhecido como “China” para formarem o grupo vocal “The Boys of Rock”.

Por sugestão de Carlos Imperial o grupo passou a se chamar The Snakes. O grupo acompanhava tanto Roberto quanto Tim Maia em seus respectivos shows. Roberto precisava da letra para a canção Hound Dog, sucesso na voz de Elvis Presley, e Arlênio Lívio apresentou Erasmo a Roberto, afirmando que Erasmo teria a letra, pois era um grande fã de Elvis. Roberto descobriu outras afinidades com Erasmo. Além de Elvis, ambos gostavam de Bob Nelson, James Dean, Marlon Brando, Marilyn Monroe, e torciam para o Vasco da Gama.

Leia mais no Wikipedia:
https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Erasmo_Carlos

Seu grande parceiro de toda a vida, Roberto Carlos:

No portal G1:

Autor de mais de 600 músicas e de clássicos como “Sentado à Beira do Caminho”, “Minha Fama de Mau”, “Mulher”, “Quero que tudo vá para o inferno”, “Mesmo que seja eu” e “É proibido fumar”, o artista deixa uma legião de fãs e amigos que fez pela estrada.

Foi na Tijuca onde nasceu Erasmo Esteves, em 5 de junho de 1941. Grandes nomes da MPB participaram da infância do cantor, no bairro da Zona Norte do Rio, como Tim Maia e Jorge Ben Jor.

Na adolescência, gostava de se reunir com a turma no Bar do Divino, na Rua do Matoso. Foi nessa época em que ele conheceu Roberto Carlos, durante um concerto de Bill Haley no Maracanãzinho – o que teria aberto os olhos do carioca para começar seu próprio grupo.

Assim, antes da carreira solo, o artista passou por outros grupos musicais, como os Snakes, ao lado de outros tijucanos, mas que durou só até 1961. Sem acreditar que conseguiria seguir sozinho na música, ele decidiu, então, trabalhar como assistente do apresentador e produtor Carlos Imperial, que o ajudou a dar o próximo passo, rumo a outro grupo musical.

Leia mais clicando aqui.

Erasmo no Dicionário Cravo Albin, onde você pode conhecer mais sobre sua obra:
https://dicionariompb.com.br/artista/erasmo-carlos/

Um trecho:

Em 1973, teve a música “Nasci para chorar” (de Dion Dimucci), vertida por ele, e que já fora sucesso na voz de Roberto Carlos, do LP “E proibido fumar”, de 1964, gravada por Raimundo Fagner no histórico LP “Manera Frufru Manera”, lançado pela Philips. Em 1974 lançou com sucesso o LP “Projeto salva Terra”, em que se destacaram as músicas “Cachaça mecânica” e “Sou uma criança não entendo nada”, ambas em parceria com Roberto Carlos. Em 1976 lançou com sucesso “A banda dos contentes”, música título em parceria com Roberto Carlos, assim como “Filho único”, dois grandes hits daquele ano. O disco apresentou também as gravações de “Paralelas”, de Belchior e “Queremos saber”, de Gilberto Gil.

Roberto, Erasmo e Wanderlea

Em 1980 gravou o LP “Erasmo Carlos convida”, que contou com a participação de inúmeros nomes da música popular brasileira cantando em dueto com ele. Estiveram presentes, entre outros, Gal Costa, em “Detalhes”, Nara Leão em “Café da manhã”, Maria Bethânia em “Cavalgada”, e Rita Lee em “Minha fama de mau”, todas em parceira com Roberto Carlos. Em 1981 assinou com a Polydor e lançou “Mulher”, disco que traria dois sucessos: a música título, parceria com sua mulher, Narinha, e “Pega na mentira”, parceria com Roberto Carlos. Em 1989 lançou o disco “Sou uma criança – Erasmo ao vivo”, com regravações de antigos sucessos. Na década de 1990 participou do CD “Casa da bossa”, com Nana Caymmi, e dos “Songbooks” de Marcos Vale e de Sérgio Sampaio. Em 1997, foi homenageado, juntamente com Roberto Carlos, pelo conjunto de sua obra no XVII Prêmio Shell para MPB. Na ocasião, realizou show no Teatro João Caetano. Em 1999, suas composições “Os Seus Botões”, “Amada Amante”, “Desabafo”, “Cavalgada”, “A Distância”, “As Flores do Jardim de Nossa Casa”, “Um Grande Amor”, “Proposta”, “Recordações e Mais Nada”, “A Guerra dos Meninos” e “Jesus Cristo”, todas em dupla com Roberto Carlos, foram gravadas pelo cantor Roberto Leal, inicialmente de forma independente, e, depois, pela EMI, no CD “Roberto Leal canta Roberto Carlos” que acabaria se tornando um dos mais vendidos da gravadora em todos os tempos.

.
Seu grande amor, inspiração de tantas canções, a primeira esposa, Narinha:

.
Um dos filhos de Erasmo faleceu em 2014:
Alexandre Pessoal (1975-2014)

Na noite de 17.11.2022, Erasmo foi premiado na cerimônia do Grammy Latino 2022, que aconteceu em Las Vegas (EUA) na categoria Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa:

O “Tremendão” levou a estatueta pelo seu último disco O Futuro Pertence À… Jovem Guarda, lançado em fevereiro deste ano pela gravadora Som Livre.

Erasmo em 2016

O cantor coleciona seis indicações ao Grammy Latino e três estatuetas.

Leia mais clicando aqui.

Mensagem de Milton Nascimento:

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s