Aurinha do Coco: Falecimento

Aurinha do Coco

Comunicado oficial:

Queridos, é com muita tristeza que dou a notícia para vocês do falecimento da Mestra Aurinha do Coco, hoje, na virada do dia 26 para o dia 27 de janeiro de 2022.

Estamos todos muito comovidos.

Nesse momento, além de tudo, precisamos entender como custear o sepultamento da Mestra, visto que no momento a família não tem essa estrutura financeira.

Disponibilizaremos o pix da produtora de Aurinha, Dora Motta, para quem puder contribuir para dessa forma conseguirmos proporcionar para Mestra a ritualização de sua passagem de forma digna: 21 988621571.

Com todo carinho e saudades da nossa Mestra,
Equipe Aurinha do Coco

No site Lost.Fm:

Uma das mais conceituadas conquistas de Pernambuco, a olindense Aurinha sempre tocou o Coco Raiz, aquele tradicional, que “possui uma batida mais pisada, mais machucada e gostosa”, como ela mesma define.

Filha de um maquinista com uma dona-de-casa, na adolescência Aurinha trabalhou com o comércio em Olinda. Incentivada pelos irmãos mais velhos, aos 17 anos adentrou no mundo da música cantando em corais de música erudita.

Leia mais clicando aqui.

No blog OlindaZumbi:

Áurea da Conceição de Assis Souza começou cantando em corais como o Coral São Pedro Mártir e o Madrigal do Recife. Natural de Olinda, cresceu ouvindo coquistas do bairro de Amaro Branco e, por 10 anos, integrou o grupo de Selma do Coco, como vocalista. Em meados dos anos 1990, seguiu carreira solo. Na atualidade, é uma das coquistas mais prestigiadas de Pernambuco, dona de uma voz forte e afinada. Já tocou em diversas partes do Brasil, participando de eventos importantes como o PercPan (BA) e o Abril Pro Rock (PE). Cantora, compositora e griô, já gravou e cantou com Alceu Valença, Naná Vasconcelos, Lia de Itamaracá, Ferrugem, entre outros.

Update 22h – No portal G1:

Mestra Aurinha do Coco deixou três filhas. Segundo a família dela, o corpo da artista é velado na Capela 6 do Cemitério e Crematório da Penitência, no Rio de Janeiro, das 15h às 18h de 28.01.2022, sendo cremado em seguida, no mesmo local. As cinzas serão jogadas em Olinda.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Cultura (Secult) e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) lamentaram profundamente a morte da Mestra Aurinha do Coco. No texto, afirmaram que ela sempre foi um ícone de resistência da cultura popular.

O governo estadual também declarou que, além de cantora e compositora, Mestra Aurinha do Coco era griô, que é a pessoa responsável por manter a memória de um grupo ou comunidade e difundir tradições.

Leia mais clicando aqui.