Lizzie Bravo (1951-2021)

Lizzie Bravo

Faleceu em 04.10.2021, de um infarto fulminante, a querida Lizzie Bravo, de acordo com informações do perfil oficial da cantora Joyce Moreno e posteriormente confirmadas pela família. Autora do livro “Do Rio a Abbey Road”, lançado em 2015, Lizzie ficou amplamente conhecida por ter gravado em uma das faixas de um dos discos dos Beatles, “Across the Universe”.

Lizzie Bravo também foi esposa do saudoso cantor e compositor Zé Rodrix e era mãe da cantora Marya Bravo:

Em suas próprias palavras, em seu site oficial:

Meu nome é Elizabeth, sou carioca; virei Lizzie depois de ouvir o John cantando “Dizzy Miss Lizzy”. Sou fã dos Beatles desde 1964. Em fevereiro de 1967 fui para Londres com minha amiga Denise. A viagem foi nosso presente de 15 anos. O que meus pais não sabiam é que eu não pretendia voltar…

Vi os quatro Beatles no mesmo dia que cheguei, e passei a frequentar o lado de fora dos estúdios da EMI em Abbey Road todos os dias, vendo-os com muita frequência.

Lizzie Bravo e John Lennon

Pouco menos de um ano depois, Paul saiu de dentro dos estúdios numa noite de fevereiro de 1968, e perguntou se alguma de nós conseguia sustentar uma nota aguda. Eu disse que conseguia e levei minha amiga inglesa Gayleen comigo. Passamos umas duas horas nos estúdios com os quatro Beatles, produzidas por George Martin, e cantamos vocais para a música “Across the Universe”. Dividimos o microfone com John e Paul, alternadamente.

Nos anos 80 / Em setembro de 2021 (fotos do Instagram de Lizzie Bravo)

Anos depois, meu então marido Zé Rodrix me eternizou como “a esperança de óculos” na música “Casa no Campo”.

Site oficial:
https://www.lizziebravo.com/

No livro “Do Rio a Abbey Road”:

“Voltei pro Rio no final de outubro de 1969, fui morar com minha mãe e trabalhar como secretária no Centro. Da Swinging London para a Av. Rio Branco — baita choque cultural!

Zé Rodrix e eu nos conhecemos em março de 1970, num ensaio do show do Bituca (Milton Nascimento) com o Som Imaginário no Teatro Opinião, e casamos em dezembro do mesmo ano, com Bituca como meu padrinho.

Lizzie Bravo e Zé Rodrix

Eu estava grávida de oito meses quando cantei “Casa no Campo” no Festival Internacional da Canção no Maracanãzinho — sua música mais conhecida, que fala de mim como a “esperança de óculos” e de um “filho de cuca legal”, nossa filha Marya, que nasceu no final de outubro de 1971. (…)”

Leia também:
O dia em que eu cantei com os Beatles

Lizzie Bravo, Zé Rodrix e Marya Bravo

Perfil de Lizzie nas redes sociais, onde ela publicava diariamente fotos e notícias sobre os Beatles e suas palestras pelo Brasil:
https://web.facebook.com/bravolizzie

Charge de Tiago Albuquerque

Algumas das fotos que Lizzie tirou durante sua viagem e que estão contidas em seu livro:

Update 05.10.2021, 11h45 – No portal G1, em matéria de Mauro Ferreira:

A carioca Elizabeth Villas Boas Bravo (27 de maio de 1951 – 4 de outubro de 2021) foi muito mais do que uma garota que amou os Beatles, em especial John Lennon (1940 – 1980). Até porque ela foi a única garota brasileira que gravou com os Beatles, em proeza realizada aos 17 anos.

No dia desse feito histórico, 4 de fevereiro de 1968, Elizabeth já era Lizzie – nome que adotara em 1965 ao ouvir Lennon cantar Dizzy, Miss Lizzy (Larry Williams, 1958) no quinto álbum dos Beatles, Help! (1965) – e estava há quase um ano em Londres, onde chegara em 17 de fevereiro de 1967.

Foram tantos dias à porta do estúdio Abbey Road que, naquele mítico dia 4, domingo de frio em Londres, Lizzie estava dentro do prédio que abrigava o estúdio ao lado de outras poucas beatlemaníacas, quando Paul McCartney perguntou se alguma delas sustentava nota aguda.

Lizzie sustentava a tal nota e foi assim que, juntamente com amiga inglesa, fez um dos vocais que encorparam a gravação de Across the universe (John Lennon e Paul McCartney, 1968), música inicialmente arquivada pelos Beatles que somente ganhou o mundo dois anos após o registro original ao ser apresentada no álbum Let it be, editado em maio de 1970.

Lizzie cantou com John, com Paul e se eternizou na história da música pop pela aventura narrada em detalhes no livro Do Rio a Abbey Road (2015), esgotado em 2017 e com ampliada segunda edição programada para este ano de 2021, além de ainda inédita edição em inglês.

Leia a matéria completa clicando aqui.

De Joyce Moreno:

No portal Beatles Brasil:

Temos a dolorosa missão de divulgar uma notícia muito triste: Lizzie Bravo, a nossa querida Lizzie Bravo, a esperança de óculos, faleceu nesta segunda feira, 04 de Outubro de 2021, no Rio de Janeiro. (…) Trata-se de uma perda irreparável, não apenas para a Beatlemania Nacional, mas também para a MPB, já que Lizzie Bravo tem muita importância em tudo que você imaginar na boa música brasileira moderna, como explica o músico e jornalista Edu Henning:

“Fomos privilegiados em conviver com a Lizzie. Muitos vão lembrar dela como sendo ‘a brasileira que cantou com os Beatles’. Mas, Lizzie atou como fotógrafa de um período riquíssimo da música brasileira (registrando momentos importantes da história de grandes nomes da música feita no Brasil). Foi também uma grande backing vocal de estúdio (participando de emblemáticos discos da MPB). E excursionou pelo Brasil e pelo mundo como vocalista de sensacionais cantores brasileiros. Trabalhou com grandes artistas e participou de magníficos projetos.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Família, amigos… incluindo Joyce, Milton Nascimento, River Phoenix…

O faleciemento de Lizzie Bravo repercutiu nas redes sociais, inclusive lá fora e nos perfis dos fãs de Lennon e Paul. Muitas manifestações lindas. Siga em paz, Lizzie!

Homenagem de Milton Nascimento:

Upadate 11.10.2021 – Sobre a missa de sétimo dia: