Guilherme Lamounier (1950-2018)

Guilherme Lamounier

Guilherme Lamounier

De acordo com o site do jornal O Dia, Guilherme Lamounier, conhecido nos anos 1970 por causa de hits como ‘Enrosca’ e ‘Seu Melhor Amigo’ (gravadas também por Fabio Jr. e a primeira também por Sandy & Junior), faleceu em 07.08.2018:

O compositor carioca morreu ontem de noite em sua casa, na Ilha do Governador. Ainda não há informações sobre enterro e velório.

Guilherme tinha arritmia cardíaca e diabetes, e estava internado há 14 dias para tratar de uma pneumonia.Nascido em 25 de novembro de 1950, Guilherme tinha se afastado do meio artístico desde os anos 1980. Amigos como o compositor Tibério Gaspar costumavam dizer que o cantor tinha desenvolvido esquizofrenia – Erasmo Carlos afirmou em entrevista que “era uma grande perda para a música” que Guilherme não estivesse mais produzindo. Sua última gravação foi ‘Luz de Mim’, feita ao lado de Rosana, no especial infantil da Rede Globo ‘A Era dos Halley’ (1985).

Guilherme era neto de Gastão Lamounier, espécie de “rei da valsa” dos anos 1930, gravado por Silvio Caldas e Carlos Galhardo, e filho da professora de canto lírico Silvia Lamounier. Passou a infância no Grajaú e logo mudou-se para Copacabana. Começou a carreira em 1967 como vocalista da banda All Stars. Foi descoberto por Carlos Imperial e gravou o primeiro disco em 1970. Em 1973, tendo Tibério Gaspar como parceiro, gravou ‘Guilherme Lamounier’, disco predominantemente folk e orquestral. A faixa ‘Será Que Eu Pus Um Grilo Na Sua Cabeça?’ foi gravada na década passada pelo Kid Abelha.

Em 1978 saiu seu último LP, também com seu nome no título. O disco foi reeditado em 2017 em CD pelo selo Discobertas e pode ser ouvido em plataformas de streaming. Em 1969 também participou como cantor e como coautor (ao lado de ninguém menos que Dorival Caymmi) da trilha sonora de The sandpit generals, versão cinematográfica de Capitães de areia, romance de Jorge Amado, feita pelo americano Hal Bartlett. O filme ficou inédito no Brasil, mas concorreu ao Festival Internacional de Cinema de Moscou em 1971, fazendo sucesso na antiga União Soviética. Guilherme deixa a mulher e uma filha de um antigo relacionamento.

A noticia foi encontrada aqui.

No Dicionário Cravo Albin:

Neto do compositor Gastão Lamounier. Primo do músico Gastão Lamounier Junior.

Em 1970, gravou o LP “Guilherme Lamounier” (Odeon), contendo suas composições “Um passo à frente”, “Eu e a chuva” e “A casa onde ela mora”, todas com Carlos Imperial, “Não lembro mais” (c/ Carlos Imperial e Paulo Imperial) e “As lágrimas caem” (c/ Carlos Imperial e Raul Rocha), além de “Linda” (Carlos Imperial e Fábio), “Cristina” (Carlos Imperial e Tim Maia), “Febre” (Carlos Imperial e Luis Henrique), “Curtição nº 1” (Carlos Imperial) e “O adeus” (Carlos Imperial e Ibrahim Sued). Nesse mesmo ano, participou do V Festival Internacional da Canção, interpretando a música “Conquistando e conquistado” (Carlos Imperial e Ibrahim Sued).

Lançou, em 1973, mais um LP também intitulado “Guilherme Lamounier” (Continental), registrando as canções “Mini Neila”, “Gb em alto relevo”, “Patrícia”, “Os telhados do mundo”, “Freedom”, “Capitão de papel”, “Amanhã não sei”, “Será que eu pus um grilo na sua cabeça”, “Passam anos passam Anas” e “Cabeça feita”, todas de sua parceria com Tibério Gaspar.

Em 1978, gravou composições de sua exclusiva autoria: “Estrela do rock and roll (Superstar)”, “Seu melhor amigo”, “Saci Pererê”, “Serenatas perfumadas com jasmim”, “Pára chega basta”, “Liberdade”, “Sandra”, “Eu preciso de alguém” e “Ser e estar”.

Ainda na década de 1970, participou de trilhas sonoras do cinema nacional, como “Cada um dá o que tem”, de Carlo Mossy, e também das novelas da Rede Globo “O homem que deve morrer” (1971), “Locomotivas” (1977), “O pulo do gato” (1978), “Marron glacé” (1979) e “Feijão maravilha” (1979).

Leia mais clicando aqui.

Parcerias com Tibério Gaspar: “Será que eu pus um grilo na sua cabeça”, “Cabeça feita”, “Capitão de papel”, “Os telhados do mundo”, entre outras. Também realizou parceiras com Carlos Imperial (“A casa onde ela mora”, “As lágrimas caem”) e Sandra Pêra (“Não me venhas com beijinhos ao pescoço”, “A todo vapor”), entre muitos outros. Como ator, atuou no filme “Capitães de Areia”.