Claudia Barroso (1932-2015)

Claudia Barroso

Claudia Barroso

Segundo o portal G1, morreu na manhã desta sexta-feira, 09.10.2015, em Fortaleza, a cantora Cláudia Barroso, de 83 anos. De acordo com familiares, Cláudia Barroso estava internada há dias num hospital da cidade e foi vítima de complicações respiratórias:

O velório de Cláudia Barroso começa no início da tarde no Cemitério Jardim Metropolitano, no município do Eusébio, Região Metropolitana de Fortaleza.

Natural de Pirapetinga, Minas Gerais, Cláudia Barroso começou a carreira na década de 60 cantando músicas de seresta.

Leia mais clicando aqui.

No site Musicaria Brasil:

(…) Em 1957, já separada e com os filhos mais crescidos, resolveu que era o momento de tentar a carreira artística. Incentivada por uma amiga, dirigiu-se ao programa de calouros de Ary Barroso. Foi gongada na primeira apresentação, não por desafinar, mas por errar a letra da música “Risque”, de Ary Barroso. Tentou, em seguida o programa de calouros de Renato Murce, na rádio Nacional/RJ, sendo bem sucedida e permanecendo por várias semanas na disputa, até ganhar o prêmio final.

Dona de grande poder de comunicação e de voz privilegiada, voltada para o estilo romântico.

Em 1957, após a vitoriosa participação no programa de calouros de Renato Murce, na Rádio Nacional do Rio de Janeiro, foi convidada pela cantora Marisa Gata Mansa para fazer um teste na boate do Copacabana Palace, pois lá estavam precisando de uma “crooner”. Tendo passado no teste, ali surgiu seu primeiro trabalho como cantora profissional.

Claudia Barroso

Claudia Barroso

Em 1958, gravou pela primeira vez ao participar do LP “Meia noite no meia noite”, da gravadora Todamérica que contou com as participações de Moacyr Silva e seu conjunto e de Cópia e seu conjunto. Nesse disco gravou a faixa “Não adiante chorar”, de Eduardo Patané e Almeida Rego, acompanhada da Orquestra do Copacabana Palace, regida pelo maestro Cópia, o Copinha.

Posteriormente, foi contratada para ir cantar em São Paulo, na boate “Capitains Bar”, do Hotel Comodoro. Ali cantou com diversos músicos, como Valter Vanderley, Paulinho Nogueira e Pedrinho Mattar. Por seu talento e versatilidade, tornou-se crooner muito disputada pelos donos de casas noturnas de São Paulo, pois cantava também em vários idiomas.

Recebeu da gravadora Odeon convite para gravar a música “Fica comigo essa noite”, de Adelino Moreira. Foi o seu primeiro disco solo, ainda em 78 rpm que trazia no outro lado “Não, eu não vou ter saudade”, de Vaucaire e C. Dumont, com versão de Romeu Nunes, disco lançado em fevereiro de 1962.

No mesmo ano, sua interpretação de “Fica comigo essa noite” foi incluída no LP “Em dia com o sucesso – Volume 2” lançado pela gravadora Odeon. Foram inúmeras as casas noturnas em que cantou, e também os diversos nomes do cenário musical brasileiro com que se apresentou, durante os anos 1960, entre eles: o Bar Baiúca, onde cantava com o Zimbo Trio; a Boate Golden Ball, em que cantava com Johnny Alf; a Boate Oásis; a Boate Champanhota, em que cantava com Marta Mendonça; a Boate Moleque, onde cantava com Noite Ilustrada; a Boate Rosa Amarela; Boate Jogral; Boate Drink, de Djalma Ferreira, onde cantava com Jair Rodrigues, entre outras.

Leia mais clicando aqui.