B. B. King (1925-2015)

B. B. King e Lucille

B. B. King e Lucille

Mais uma lenda se vai. De acordo com o portal G1, B.B. King, considerado o “Rei do Blues” e integrante do Hall da Fama do Rock and Roll desde 1987, morreu na madrugada desta sexta-feira, 15.05.2015, em Las Vegas, nos Estados Unidos, aos 89 anos de idade, segundo informou seu advogado:

No início de abril, o guitarrista foi hospitalizado após sofrer uma desidratação por causa da diabetes tipo 2 da qual sofria há mais de 20 anos. Ele voltou a ser hospitalizado há poucos dias.

A lenda se despede com 16 prêmios Grammy, mais de 50 discos em quase 60 anos de carreira e músicas que marcaram época, como “Three o’clock blues”, “The thrill is gone”, “When love comes to town”, “Payin’ the cost to be the boss”, “How blue can you get”, “Everyday I have the blues”, “Why I sing the blues”, “You don’t know me”, “Please love me” e “You upset me baby”.

O maior guitarrista de blues da atualidade, verdadeira lenda, Riley B. King, nasceu em 16 de setembro de 1925, no Mississippi, nos EUA. Tocava nas esquinas, bares. Comprou o primeiro violão quando a falta de eletricidade no interior do país fazia dos instrumentos musicais a maior atração dos anos de 1940.

O músico foi autodidata, nunca teve professor. Gostava de ser seduzido pelas melodias. O B.B. de seu nome artístico vem de Blues Boy, dos tempos do rádio.

Seu primeiro grande sucesso nacional foi “Three o’clock blues”, que estourou nos anos 1950. A partir daí começou a fazer turnês sem parar. Só no ano de 1956 sua banda chegou a fazer 342 apresentações.

B.B. King criou um estilo autêntico de guitarra. Em seus solos, ao contrário de outros guitarristas, o Rei do Blues preferia usar poucas notas. Ele dizia que conseguia fazer uma nota valer por mil.

Leia mais clicando aqui.

B. B. King

B. B. King

Relembrando dois grandes mestres: