A Orquestra e a Cidade – 27 a 29.04.2015

A segunda edição da Conferência Internacional MultiOrquestra acontecerá durante três dias na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, e fará parte do calendário das comemorações dos 450 anos da cidade:

Esta conferência faz parte do Programa Transfrom Orchestra Leadership, que teve início em 2014 e vem se consolidando como uma plataforma única de diálogo e intercâmbio entre orquestras, conservatórios, salas de concerto, projetos sociais e organizações governamentais para fortalecimento dos setores orquestrais no Brasil e no Reino Unido.

O evento conta com o patrocínio do BNDES e do Arts Council England.

Leia mais em:

http://transform.britishcouncil.org.br/pt-br/tol2015

IMG_13185903068350

GRÁTIS – VI Festival Nacional do Choro, Segundo Dia – 26.04.2015

Na Praça Tiradentes, nos dias 25 (sábado) e 26.04.2015 (domingo), músicos de todo o Brasil vão se apresentar. E de graça. Abaixo a programação do segundo dia:

Época de Ouro (RJ)

O Conjunto Época de Ouro representa o choro genuíno dos tempos em que o rádio era o maior veículo de comunicação no Brasil e a música instrumental brasileira enchia os lares. Fundado em 1964 por Jacob do Bandolim, o grupo tem uma carreira sólida construída com diversos espetáculos por todo o país levando às plateias arranjos elaborados interpretados com maestria por componentes exigentes. Desde 2005 realiza um programa semanal ao vivo na Rádio Nacional do Rio de Janeiro.

Jorginho do Pandeiro – pandeiro
Ronaldo do Bandolim – bandolim
Antonio Rocha – flauta
Jorge Filho – cavaquinho
Toni – violão 7 cordas
André Bellieny – violão

Data: 26/04 – Praça Tiradentes
Horário: 11h

— Nó em Pingo D’água convida Eduardo Silva (RJ)

Nos seus mais de 30 anos de atuação, definiu uma nova linguagem para a interpretação do choro e da música carioca. Com seis álbuns gravados e diversos prêmios, há alguns anos trabalha repertório autoral. Tem atuado bastante – no Brasil e exterior – ao lado de artistas como Paulinho da Viola, Ivan Lins, Leila Pinheiro, Moraes Moreira, Cristóvão Bastos, Guinga e Ney Matogrosso. O encontro conta ainda com duas gerações de uma família de pandeiristas: Celsinho Silva e Eduardo Silva – pai e filho.

Celsinho Silva – pandeiro e percussão
Mário Seve – sax e flauta
Rodrigo Lessa – bandolim
Rogério Souza – violão
Eduardo Silva – pandeiro

Data: 26/04 – Praça Tiradentes
Horário: 12h

— Trio Madeira Brasil e Henrique Cazes (RJ)

Reunindo três amigos em torno de uma proposta artística ousada: fazer uma música ao mesmo tempo calorosa e bem acabada, o conjunto carioca de cordas traz um repertório tão precioso quanto eclético, representando o que há de melhor na cultura brasileira, e atento a manifestações de outras culturas. Henrique Cazes tem uma ligação com o grupo há mais de 15 anos. Com o violonista Marcello Gonçalves, seguiu com vários projetos como os quatro CDs da série “Beatles n’Choro” e mais “Uma história do Choro” e “Tudo é Choro”.

Zé Paulo Becker – violão de 7 cordas
Marcello Gonçalves – violão
Ronaldo do Bandolim – bandolim
Henrique Cazes – cavaquinho

Data: 26/04 – Praça Tiradentes
Horário: 13h

— Mauricio Carrilho convida

A apresentação marca o encontro de várias gerações do choro tendo como anfitrião o mestre Mauricio Carrilho. Ele e Pedro Aragão são coordenadores da Escola Portátil de Música e responsáveis ao lado de Luciana Rabello pela Casa do Choro. Marcelo Caldi lançou em 2012 o livro/disco “Tem sanfona no choro”, editado pelo Instituto Moreira Salles com apoio da Funarte. A jovem e talentosa violonista Paula Borghi é de Santo André – SP. O flautista Dudu Oliveira é filho de Dudu do Cavaco e é considerado um dos mais virtuosos instrumentistas do gênero, assim como Paulo Sérgio Santos no clarinete – um mestre e referência no instrumento. Bidu Campeche é um habilidoso percussionista de Florianópolis – SC. O violonista Henrique Neto, que dirige a Escola de Choro Rafael Rabello de Brasília – vem somar talento a este encontro de craques.

Mauricio Carrilho – violão
Pedro Aragão – bandolim
Dudu Oliveira – flauta
Paula Borghi – violão
Paulo Sérgio Santos – clarinete
Marcelo Caldi – acordeão
Henrique Neto – violão
Bidu Campeche – pandeiro

Data: 26/04 – Praça Tiradentes
Horário: 14h

— Quarteto Maogani (RJ)

O quarteto de violões criado em 1995 é um dos grupos instrumentais mais conceituados no cenário musical popular brasileiro. Vencedor de diversos prêmios (Prêmio TIM 2005, Prêmio Rival-BR 2004, Prêmio Caras 2002), o grupo se destaca por sua produção fonográfica de alta qualidade e presença constante em shows no Brasil e no exterior.

Violões:
Sérgio Valdeos
Paulo Aragão
Carlos Chaves
Marcos Alves

Data: 26/04 – Praça Tiradentes
Horário: 15h

— Luciana Rabello, Cristóvão Bastos, Pedro Amorim convidam Julião Pinheiro, Magno Julio e Marijn Van der Linden (RJ/Holanda)

Um grande encontro de mestres e veteranos: Luciana Rabello, Cristóvão Bastos e Pedro Amorim. Como convidados, dois dos mais destacados jovens da nova geração, Julião Pinheiro e Magno Julio. Participação especial de Marijn Van der Linden, representante ilustre do choro internacional – diretamente da Holanda!

Luciana Rabello – cavaquinho
Cristóvão Bastos – piano
Pedro Amorim – bandolim
Julião Pinheiro – violão de 7 cordas
Magno Julio – percussão
Marijn Van der Linden – cavaquinho

Data: 26/04 – Praça Tiradentes
Horário: 16h

Veja mais atrações do domingo clicando aqui.