Teenie Hodges (1945-2014)

Teenie Hodges

Teenie Hodges

De acordo com o portal G1, o guitarrista Teenie Hodges faleceu em 22.06.2014 aos 68 anos:

Mabon “Teenie” Hodges, guitarrista de rhythm and blues e coautor de sucessos com o cantor Al Green, incluindo “Take me to the river”, morreu aos 68 anos devido a complicações relacionadas a um enfisema.

A morte foi confirmada por Lawrence Mitchell, amigo de Hodges e gerente do Royal Studio. Ele disse que o guitarrista morreu em um hospital de Dallas durante o fim de semana.

“Ele era um dos pilares do som em Memphis”, disse Mitchell, neto do falecido produtor de soul e funk Willie Mitchell, que recorreu a Hodges e seus irmãos Charles, no órgão, e Leroy, no baixo, para sessões de gravações.

Teenie Hodges se uniu a Al Green para inúmeros sucessos, incluindo “Here I am (Come and take me)” e “Love and hapiness”. Sua canção “Take me to the river” foi um sucesso de Green e também foi gravada por artistas de vários gêneros musicais, incluindo Tina Turner, Foghat, Talking Heads, Levon Helm, Tom Jones, the Grateful Dead e Bryan Ferry.

Leia mais clicando aqui.

GRÁTIS – Série Música no Museu – 30.06.2014

Grupo Vocal Agora Vaz.

Programa: Clássicos brasileiros.

Casa de Cultura Laura Alvim
Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel.: (21) 2332-2016/ 2040.
Segunda, 30 de Junho de 2014, às 19:00. Grátis.

Superstar: Top6 de 29.06.2014, com Move Over e Bicho de Pé eliminadas, rumo à grande final

A semifinal de Superstar foi emocionante. Como sempre contando com uma inspirada Ivete Sangalo no júri e a apresentação segura de Fernanda Lima, a votação dos espectadores era o único índice que definia o ranking ao final das seis apresentações, uma novidade neste Top6. Move Over e Bicho de Pé forem as que tiveram as votações inferiores, mas só então os jurados teriam poder de dar mais 5% de votos a uma banda. Dinho deu 5% a Jamz. Ivete foi a segunda, dando 5% a Suricato. Fábio Jr deu os 5% a Malta. Ao final desses acréscimos, Move Over e Bicho de Pé continuaram na zona de eliminação, e saíram do programa, ambas elogiadas e igualmente merecedoras, com convite de Ivete para show na Marina da Gloria. O Top4 será a grande final em 04.07.2014 com

JAMZ
LUAN E FORRO ESTILIZADO
MALTA
SURICATO

Malta

Malta

Update 01.07.2014 – Matéria abaixo do jornal O Dia de 01.07.2014.

_OD0107C

GRÁTIS – Série Concertos na Imprensa Oficial – 25.06.2014

Câmaras Instrumentais do Programa Aprendiz.

Programa: Lennie Niehaus. Turrell. Vivaldi. Bach. Pachelbel. Baden Powell. Tom Jobim. E outros compositores.

Sala de Cultura Leila Diniz
Rua Professor Heitor Carrilho, 81 – Centro. Tel.: (21) 2717-4055.
Quarta, 25 de Junho de 2014, às 12:30. Grátis.

Superstar 2014: Top7, com o Grupo do Bola eliminado em 22.06.2014

Numa noite que contou com 7 apresentações no palco, o Grupo do Bola foi eliminado do Superstar, por ter a menor pontuaçao no ranking final. A banda Malta liderou o ranking deste programa de 22.06.2014 com 87% de aprovação. Continuam na competição 6 grupos:

BICHO DE PÉ
JAMZ
LUAN E FORRÓ ESTILIZADO
MALTA
MOVE OVER
SURICATO

Veja os vídeos do programa de 22.06.2014 em:

http://gshow.globo.com/programas/superstar/primeira-edicao/episodio/22-06-2014/

Veja todos os posts de Superstar, desde a primeira fase até o episódio mais recente, aqui no Música é Magia: clique aqui.

Grupo do Bola

Grupo do Bola

Humberto Franceschi (1930-2014)

Faleceu em 21.06.2014 Humberto Franceschi, pesquisador de música brasileira. No Globo Online:

(…) por complicações decorrentes de um câncer no pulmão. Ele estava internado no hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro. Seu corpo foi cremado no Cemitério do Caju, às 17h.

Primo de Vinicius de Moraes, Humberto Moraes Franceschi nasceu em 1930 cercado de música — uma tradição familiar que ele seguiria, como pesquisador e colecionador. Seu tio-avô era o folclorista Mello Moraes Filho. Dois dos filhos de seu avô eram seresteiros. Em sua casa, nos primeiros anos de vida, havia saraus com modinhas, frequentados por Lúcio Rangel, Sergio Porto, Bororó, Dilermando Reis, Orestes Barbosa, Rubem Braga e Vinicius, entre outros.

A coleção de discos de Franceschi — seu acervo, um dos mais importantes do país, com 12 mil itens que documentam as primeiras décadas da nossa indústria fonográfica, foi vendido ao Instituto Moreira Salles no início dos anos 2000 — começou ainda na infância, com peças herdadas do avô. O destino continuou apontando a direção para o colecionador: colega de escola de uma das netas de Fred Figner, dono da Casa Edison (gravadora pioneira no Brasil), ele acabou se aproximando da família, o que permitiu que mais tarde tivesse acesso a documentos importantes para escrever seus livros “Registro sonoro por meios mecânicos no Brasil” (1984) e “A Casa Edison e seu tempo” (2002).

Leia mais clicando aqui.

Em outra matéria:

(…) [pesquisador] com P maiúsculo, daqueles que levam o hábito de fuçar arquivos e descobrir raridades como uma cachaça.

(…) Um dos capítulos mais importantes da história musical do Brasil poderia estar entregue às traças há muito tempo se não fosse a insistência do pesquisador Humberto Franceschi. Há mais de 50 anos, ele se dedica a recuperar gravações e papéis da carioca Casa Edison, a terceira gravadora do mundo, que de 1902 a 32 registrou um impressionante número de canções populares. Depois de muito procurar um local confiável para seu valioso acervo, Franceschi, 71 anos, bateu o martelo e vai levá-lo a público por meio de duas instituições. O Instituto Cultural Sarapuí vai lançar o livro “Casa Edison e seu tempo”, escrito pelo pesquisador, que será acompanhado por um CD reunindo imagens de partituras e documentos. Além disso, prepara com o apoio da Petrobrás quinze CDs com as músicas mais importantes da pioneira gravadora carioca e está digitalizando 13 mil fonogramas para serem disponibilizados no Instituto Moreira Salles do Rio.

Leia mais clicando aqui.

Horace Silver (1928-2014)

De acordo com o site JB Online, o pianista e compositor Horace Silver morreu em 18.06.2014, aos 85 anos, em sua casa:

Horace estava já há algum tempo afastado dos estúdios e dos clubes. Mas deixa registrada uma obra que o consagrou como uma das maiores figuras da história do jazz pós-bop.

Nascido em Connecticutt, seu pai era um imigrante de Cabo Verde, que o batizou como Horácio Ward Martins Tavares da Silva. O jovem Horácio americanizou de vez o nome, estudou saxofone e piano, foi à luta, e, ao lado do também canonizado baterista Arte Blakey e dos Jazz Messengers, tornou-se um dos founding fathers do hard bop.

Leia mais clicando aqui.