Beth Carvalho: Retornando aos poucos

Beth Carvalho

Beth Carvalho

A coluna de Ancelmo Gois no jornal O Globo desta segunda, 25.10.2010, traz uma entrevista de Marceu Vieira com Beth Carvalho:

Beth Carvalho, depois de um ano e dois meses, fez sua primeira aparição pública segunda passada. A grande cantora brasileira foi em cadeira de rodas, valente, à festa dos artistas para Dilma, no Teatro Casa Grande. Aos 64 anos, foi uma das mais aplaudidas. Merece.

Como foi receber palmas de novo depois de tanto tempo?

— Foi muito emocionante. Eu chorei tanto. Eu me senti feliz por poder participar, por me sentir querida. Com certo sacrifício físico. Mas lá fui eu.

O que houve com você?

— Tudo começou em agosto de 2009. Tive um problema na coluna e fui operada. A cirurgia deu certo. Mas contraí uma infecção hospitalar. Venci essa luta. Vim para casa, achando que estava tudo bem. Faria show no réveillon. Aí, em casa, tive fratura no sacro. Essa é que foi difícil. Porque fui obrigada a ficar o tempo todo deitada. Era algo que não se podia engessar. Para consolidar, eu teria de ficar na cama. Nem assim consolidou. Tive de fazer outra operação, pôr dois parafusos. Finalmente, consolidou. Já fico de pé.

Você tem cantado em casa?

— Tenho. É tão bom. Gravei aqui minha participação no DVD do Monarco (o grande sambista da Portela). Eles trouxeram a equipe toda e gravamos.

Quanto tempo ainda vai demorar para voltar aos palcos?

— Demora ainda uns quatro meses essa história. Tenho paciência. Nem sabia que tinha tanta. Um ano deitada não é fácil. Acho que consegui pelo carinho, por tanta manifestação de amor. Os amigos ligando o tempo todo.

Já pensa no próximo CD?

— Eu já estava selecionando músicas para o novo CD quando tudo aconteceu. Poderia até gravar em casa, mas não quero. Quero estúdio mesmo. Vou esperar um pouco para ficar firme.

O CD já tem nome?

— Tem. Vai se chamar “Brasileiríssima”. É como, mais do que nunca, eu me sinto. Será produzido pelo Rildo Hora.

Como está a rotina nesses dias?

— Faço fisioterapia todo dia. Pego sol. Estou muito contente. Não esperava tanto amor, tanto carinho da minha família, dos amigos, de todo mundo. Eu gosto de viver. Acho que estou saindo dessa por isso. Pelo amor das pessoas e porque gosto de viver.

A matéria foi encontrada neste link.

Gregory Isaacs (1951-2010)

Gregory Isaacs

Gregory Isaacs

De acordo com o Globo Online, o cantor Gregory Isaacs, um dos últimos grandes nomes do reggae clássico vivos, faleceu nesta segunda-feira [25.10.2010] pela manhã, em sua casa, em Londres, após uma longa batalha contra um câncer de pulmão:

Ele tinha 59 anos. O maior suceso do artista foi o disco “Night nurse”, de 1982, cuja faixa-título também estourou nas paradas e foi regravada por nomes como Sly and Robbie e Simply Red.

A nota foi encontrada aqui.

Gregory Isaacs

Gregory Isaacs

Do UOL:

De acordo com a BBC do Caribe, Isaacs — cujos apelidos eram Cool Ruler e Lonely Lover — morreu na sua casa em Londres.

Amigos disseram que ele havia sido originalmente diagnosticado com câncer no fígado, que mais tarde se espalhou. Ele deixou sua esposa, Linda, e filhos.

Gregory teve uma carreira prolífica, lançando mais de 50 álbuns ao longo de quatro décadas. Seu último disco, “Brand New Me”, saiu em 2008 e recebeu críticas positivas.

Leia mais clicando aqui.

GRÁTIS – Emílio Santiago – 25.10.2010

Emilio Santiago

Emilio Santiago

Lançado neste ano, Só Danço Samba é uma homenagem ao rei dos bailes, o tecladista Ed Lincoln, ao lado do qual Emílio Santiago iniciou a carreira. De Lincoln, o astro da noite apresenta Olhou pra Mim. Sucessos bossa-novistas completam o repertório, entre eles Samba de Verão e Só Danço Samba. 14 anos.

Modern Sound
Rua Barata Ribeiro, 502, loja D, Copacabana, 2548-5005.
Segunda (25), 19h. Grátis.
É necessário fazer reserva (120 lugares).
Estac. c/manobr. (R$ 7,00 a primeira hora).

GRÁTIS – Série Música no Museu – 25.10.2010

Gabriel Lucena, violão.

Programa:
– Bach: Sonata para violino N. 1 em sol menor.
– Villa-Lobos: Prelúdio N. 5 e Estudo N. 11.
– Rodrigo Marconi: Bretchianas.
– Frank Martin: Quatro peças breves.
– Guerra-Peixe: Prelúdios N. 3 “Dança fantástica”, N. 4 “Canto do mar” e N. 5 “Ponteado nordestino”.

Casa de Cultura Laura Alvim
Av. Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel.: (21) 2253-8645
Segunda, 25 de Outubro de 2010, às 18:00. Grátis.